Estrela de BUENA VISTA SOCIAL CLUB, projeto com o qual ganhou o Grammy em 1998. Ele também participou do filme de sucesso de mesmo nome feito por Wim Wenders e foi indicado ao Oscar de documentário em 1999; Barbarito Torres, “el rey de laúde”, uma das poucas referências vivas da turnê que ganhou o mundo em 1998, reuniu um time especialmente para se apresentar no Brasil.

Natural de Matanzas, Barbarito Torres já trabalhou com todos os gêneros da música tradicional cubana e é um genuíno portador das tradições da música da ilha.

Executa seu instrumento desde 10 anos de idade, e já aos 14 começa a carreira profissional atuando em diferentes grupos.

Em 1998 passa a integrar o grupo Manguaré, uma das agrupações mais representativas da música popular cubana, sendo um dos primeiro a introduzir o alaúde, (instrumento tradicional da música folclórica), na música popular cubana contemporânea. Entre as principais características de seu estilo se destaca o alto nível técnico, é um virtuoso.

Fez excursões pelo mundo, gravou inúmeros discos e trilhas para filmes e documentários cubanos e internacionais. Pertence ao Afro Cuban All Star, que gravou o CD Buena Vista Social Club, fenômeno mundial produzido por Ray Cooder.

Já dividiu o palco com músicos da estatura de Leo Brouwer, Chucho Valdes, Rivera Niño, Tata Guines, Compay Segundo, Rubén González, Ibrahim Ferrer, Amadito Valdés, Pio Leyva, Omara Portuondo, Eliades Ochoa , Pancho Amat, José Luis Cortez, Adalberto Alvarez, Juan Formell, Ray Cooder, Oscar de Leon, Papo Lucca, o guitarrista de flamenco José A. Rodriguez, Santiago Auserón (Juan Perro), Cesária Évora, Gilberto Santa Rosa, Willie Colon, Neil Young, Richie Ray e Bobby Cruz, Chichi Peralta, Jimmy Cliff, entre outros.

 

Tem dois discos solos com seu grupo Piquete Cubano, o primeiro Havana Café, teve uma excelente aceitação dos críticos (New York Times, Bilboard, Chicago Tribune, Los Angeles Times, Latin Beat, entre outros) e foi primeiro lugar em vendas Amazon.com em 1999.

Sua última produção tem sido bem recebida pelo público e críticos (Barnes & Noble, Global Rhythms, entre outros). Ela foi nomeada para um Grammy em 2003 na categoria de Melhor Álbum Tropical Tradicional.

Barbarito Torres e Pacho Amat:

Barbarito Torres tocando Laúd, no video Original Buena Vista Social Club:

Veja, comente, compartilhe!