Marina de la Riva

Marina de la Riva vem de uma cidade pequena, distrito de Campos dos Goytacazes, litoral norte do mesmo Estado do Rio de Janeiro. Seu avô e seu pai vieram de Cuba e se estabeleceram lá naqueles confins. Fernando, pai de Marina, casou com uma mineira. Fernando tocava violão, mas gostava mesmo era de cantar Árias de óperas, operetas e canções tradicionais ou antigas de sua ilha caribenha.

em 2004 Marina assistiu ao um show de Bebo Valdez, pianista da velha guarda cubana, pai de Chucho Valdez, e derramou-se em lágrimas, uma epifânia, a revelação por fim do que estava lá, no peito, na moldura da alma. Era sua história, era seu coreto, sua praça de cidadezinha do interior, seu retrato que, de tão próximo, tão íntimo, tão carinhosamente guardado no escaninho do afeto, tão ali que ela não via. E resolveu cantar os cubanos:

Gravou o DVD do álbum homonimo em setembro de 2009, no ainda não inaugurado teatro BRADESCO, , SP com previsão de lançamento para 2010.

Participou  do 9 º GRAMMY LATINO 2008 com transmissão ao vivo e  simultanea com os  USA, diretamente de Houston, Texas. Convidou Pepeu Gomes para apresentar uma das música de seu repertório.

Participou como convidada da Turnê Brasileira de Frank Sinatra Jr. em homenagem à Frank Sinatra pelos 50 anos da bossa nova.

Recebeu o APCA 2007 (ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS CRÍTICOS DE ARTE) pela categoria CANTORA REVELAÇÃO FEMININA.

Veja, comente, compartilhe!